sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Resenha | Traída - P.C. Cast, Kristin Cast - Livro 2


Autor: P.C Cast e Kristin Cast
Editora: Novo Século
Páginas: 327
Avaliação:      


A jornada de Zoey continua no segundo livro da série House of Night. 

Após a Deusa Nyx abençoar a jovem com os cinco elementos, mostrando que Zoey terá um futuro promissor na Morada da Noite, seu novo desafio é compreender os misteriosos e trágicos acontecimentos ao seu redor. Segredos, mentiras, traições e amor, colocam Zoey em uma posição complicada ao longo das páginas e apesar de já estar adaptada a Morada da Noite, Zoey descobre que sua atual realidade sofrerá uma grande reviravolta.

Como já havia mencionado na resenha do primeiro livro da série, o que mais gosto é o modo como as autoras colocam o sentimento de amizade em primeiro plano. Novamente em Traída isso continua, com o foco maior em Zoey e Stevie Rae. Essa amizade que nasce de maneira espontânea, evolui e quando o leitor está puramente tomado pela energia positiva da mesma, vem o clímax da história, surpreendendo. Realmente não esperava, e tudo que conseguia pensar é : " Por que tinha que ser, justo com Stevie Rae?"

No livro anterior vemos que Aphodite sente-se ameaçada por Zoey e acaba perdendo seu cargo nas Filhas das Trevas, porém em "Traída" esse relacionamento conturbado das duas ganha uma nova perspectiva. Ainda há cenas aonde ambas entram em conflitos, mas ver Zoey entender sua rival foi algo muito generoso, algo que uma Grande Sacerdotisa faria, mostrando o amadurecimento da personagem. Aphodite, também revela uma outra face, sendo receptiva e alguém disposta a ajudar Zoey verdadeiramente a seu modo. Enfim, após este livro será impossível não torcer pela futura amizade de ambas. 

Falando em romance, neste livro Zoey está em uma montanha russa de emoções. Um professor chamado Loren (vamp) invade seu mundo, deixando-a fortemente atraída. Porém seu relacionamento com Erik Night agora é algo sério, que ela não quer abrir mão. E para complicar ainda mais a situação Heath (seu ex que foi carimbado) está tão presente em todo livro, que fica difícil não gostar do arco que envolve ele e Zoey, afinal o passado deles tem uma chama que nunca se apagou. Sinceramente, espero ter muito o que ler sobre a relação de Zoey e Heath nos próximos livros (Desculpe Erik, sei que mudei de ideia, mas depois deste segundo livro torço pelo fofo do Heath rs).

Para finalizar, com certeza a "cereja do bolo" foi o arco que envolveu a Grande Sacerdotisa Neferet. A visão que Zoey tem sobre a sua mentora se modifica ao longo do livro, e minha surpresa foi quando percebi que também tinha mudado de opinião sobre Neferet, graças as observações de Zoey. Essa troca de sentimento acaba sendo algo automático, pois Neferet transmitia positividade, e mostrava-se cúmplice de Zoey. Porém ao término do livro, o sentimento que fica é que Neferet vê Zoey como uma ameça aos seus planos. Deixando claro que a Sacerdotisa também tem alguma relação sombria com as criaturas sinistras de olhos vermelhos que assombram os arredores da Morada da Noite. 

Estou mega curiosa para a sequência desse volume e não poderia ser diferente após as duas promessas finais de Zoey:

" - Nenhum humano, novato ou vampiro precisa acreditar no que eu disser sobre você, porque Nyx acredita. A coisa entre nós não acaba por aqui."

" - Vou voltar para ajudá-la, Stevie Rae." 

#Recomendo

Citações do livro "Traída" (53)



" - Frequentemente, aquilo que nos traz mais honra também traz a maioria dos problemas." - Pág. 52

" - Sabe quando você sente antes de um tornando aparecer? Tipo, quando o céu está claro, mas o vento começa a ficar frio e mudar de direção? Você sabe que está vindo alguma coisa, mas nem sempre sabe o que é. É isso que estou sentindo agora." - Pág. 84

" - A razão pela qual você não me esqueceu é porque, quando provei do seu sangue no muro da escola, comecei a Carimbá-lo. Você  me que porque é isso que acontece quando um vampiro, ou pelo jeito algum novato, bebe do sangue de uma vítima humana." ( Zoey para Heath) - Pág. 129


" Então o cheiro me atingiu...Rico, sombrio, sedutor. Como chocolate, só que mais doce e selvagem. Em segundos o pequeno carro ficou pegajoso com aquele cheiro. Ele exercia sobre mim uma atração que jamais senti antes. Não era só o fato de eu querer provar dele. Eu precisava. Eu tinha que provar." - Pág. 134


" Ele ficou com sua mão na minha. Senti a pulsação de seu sangue e soube que estava batendo no mesmo ritmo do meu coração, como se estivéssemos de alguma forma internamente sincronizados." - Pág. 137


" Eu queria Heath.
  Eu desejava Erik.
  Estava intrigada com Loren.
  Não fazia a menor ideia do que faria com a zona em que se transformara minha vida." - Pág. 188


" Então, senti que seu corpo pesou sem vida em meus braços, e ela não respirou mais. Seus lábios se abriram só um pouquinho, como se estivesse sorrindo. Saiu sangue de sua boca, de seus olhos, de seu nariz e de suas orelhas, mas não senti o cheiro do sangue, só os aromas da terra. Depois, veio um vento forte com cheiro de prado, a vela verde se apagou, e minha melhor amiga morreu." (Zoey sobre Stevie Rae) - Pág. 238


" E se por um lado é verdade que os vampiros não mordem ao beber sangue de humanos, as lacerações seguem um padrão que sugere ação de vampiros. É importante que lembremos ao público que os vampiros têm compromisso legal com os humanos de não se alimentarem de nenhum deles contra sua vontade." - Pág. 265

" Nem tudo que é luz é bom, e nem tudo que é escuridão é ruim.
A escuridão não equivale ao mal, assim como a luz nem sempre representa o bem."
(Deusa Nyx) - Pág. 269


" - Não, sou uma novata que é líder das Filhas das Trevas e futura Sacerdotisa. Acredite no que digo, isso é bem mais do que só uma adolescente." - Pág. 326


" - Nenhum humano, novato ou vampiro precisa acreditar no que eu disser sobre você, porque Nyx acredita. A coisa entre nós não acaba por aqui." (Zoey para Neferet) - Pág. 330

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Notícias | Divulgado dois novos trailers da 3° Temporada de Shadowhunters


Faltando pouco para o retorno de Shadowhunters, ontem (14/02) a Freeform divulgou dois trailers exclusivos da série. Ontem comemorava-se "The Valentine's Day", e nada melhor que para celebrar a data como dois videos focados em seus casais principais: Clace e Malec. Confira abaixo:

1. Clace


2. Malec 



Shadowhunters retorna dia 20 de Março da Freeform e 21 de Março na Netflix. 


sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Curiosidades | Minhas leituras de Janeiro



Janeiro de muitas leituras?
Sim! Mas apenas duas foram finalizadas.


O mês de Janeiro foi um mês muito produtivo em relação as leituras. Realmente iniciei a leitura de vários livros, mas como já está virando um hábito finalizei a leitura de apenas dois livros, sendo eles: Maze Runner: A Cura Mortal e A Garota do Calendário: Janeiro. Então vamos lá!


Para pagar a dívida de seu pai a um agiota no valor de um milhão de dólares, Mia Saunders, se submete a ser acompanhante de luxo. Sua missão é trabalhar durante um ano na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Ao ler "Janeiro", tudo indicava que Mia era a pessoa perfeita para esse tipo de trabalho pelo fato de não se envolver a ponto de se apaixonar ( Apesar da personagem deixar claro que se apaixonou por cada homem que já dormiu), e por causa de suas experiências passadas ela não acredita mais no amor. Ela aparenta ser inteligente, bonita, possui amor próprio, alguém que dificilmente entregaria seu coração de primeira. Porém basta avançar poucas páginas para a história mudar. Isso foi o que me fez gostar do primeiro livro dessa série. O fato de a atração virar rapidamente um romance. Porém, o combinado era não se apaixonar por Wes, e um deles se apaixona. Ambos não sabem como prosseguir, e Mia terá que partir em breve. Isso envolve o leitor, tornando a leitura rápida.



Esse foi um livro que me fez sentir vários sentimentos contraditórios, uma hora eu gostava outra não do que lia, e assim foi até o final do livro. O que começa de maneira empolgante, fica tedioso. Além disso uma das minhas maiores expectativas era saber sobre a vida passada de Thomas e essa informação não é colocada no livro, o que me deixou decepcionada. Ao ler essa série foi natural pensar que Thomas como o líder que foi ao longo da trilogia, encontraria uma solução para deter o CRUEL e isso não ocorre. Simplesmente a mesma pessoa que começa com a bagunça, termina ou seja Ava Paige. Muitas repetições, com um final que deixa a desejar, sendo inconclusivo. Além de muitas mortes que tinham tudo para serem evitadas. Estou tentando compreender o final de Newt até agora. O drama referente a ele foi um ponto interessante do livro, claro que sim, mas como Minho, Teresa e Thomas, ele buscava a liberdade que nos momentos finais foi tirada dele. Até o que aconteceu com Teresa teve mais sentido. Enfim, este não foi o melhor livro da série.

Espero que tenham gostado das minhas leituras de Janeiro.
Até o próximo mês, leitores!

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Cinebook | Maze Runner - A Cura Mortal # 53


Avaliação:   

ATENÇÃO: Este texto contém SPOILER! 

Se você leu o último livro da trilogia de Maze Runner, vai perceber que muitas coisas foram modificadas na adaptação do longa, tendo poucos fatos que se assemelham ao livro. Para aqueles que não leram o livro e acompanhou apenas os filmes da franquia, com certeza o filme agradará, por suas diversas cenas de ação, mantendo o padrão já conhecido dos dois filmes anteriores. Mas para os leitores, alguns fatos não irão passar despercebidos.

Nos livros, Minho não é levado pelo CRUEL, ele está a maior parte do tempo com Thomas, alterando assim o filme que se inicia de maneira dinâmica com a tentativa de salvamento do rapaz. Na sequência podemos compreender a importância que os imunes têm para os experimentos do CRUEL e os procedimentos que estão executando nas cobaias para encontrar a cura do Fulgor. 

Gostei bastante dessa mudança, pois no livro as idas e vindas entre os diferentes cenários foi algo desgastante na leitura, deixando-a cansativa. Isso não funcionária muito bem no filme. Ao deixarem uma sequência direta, possibilitaram a compreensão instantânea sobre o CRUEL, o fulgor, o impacto civil, a base para o inicio da guerra entre outros elementos importantes do arco principal.  

Outra mudança que ficou meio vaga foi o "terceiro grupo" inexistente no enredo. No filme anterior o Braço Direito é mencionando como o grupo que está nas montanhas com os imunes. Porém neste terceiro filme essa referência fica perdida. No livro o Braço direito é o grupo onde Gally está escondido, esse grupo também aparece e destrói a base do CRUEL, igual ao livro mas em momento nenhum é chamado como Braço direito, isso porque vemos o comante do grupo das montanhas ajudando Thomas nos momentos cruciais do filme. Acredito que não mencionar foi uma maneira de não confundi o telespectador que assistiu apenas os filmes da série. 

Agora falando em coisas semelhantes, foi emocionante ver as partes de Newt. Tudo que envolveu o personagem foi adaptado com muito cuidado trazendo o impacto necessário e esperado para seu final. E mesmo que tenham transformado sua carta de duas linhas em duas folhas, ainda sim as palavras foram satisfatórias, sendo significativo.

O mesmo não aconteceu com a personagem de Teresa. Pelo fato de terem mudado o final de Ava Paige isso interferiu diretamente para o fechamento e conclusão dos motivos que levaram a jovem a seguir o CRUEL, o que é uma pena já que foi uma das coisas que mais gostei no livro ( e olha que não gostei de muitas). O sacrifício final de Tereza no livro expressa toda a sua vontade de salvar a raça humana, fica claro que ela sabia o plano B de Ava e faria o impossível para ver Thomas seguir adiante não importando as consequências. Foi uma pena transformarem o acontecimento em algo romântico, por mais "fofo" que tenha sido tiraram toda a carga real da personagem de Tereza. E mesmo que Thomas apareça com a cura produzida por ela, nas mãos lembrando dela, o fato parece se referir a uma "possível continuação" e não a Tereza. Enfim, a sequência dela poderia ter sido melhor explorada.

Para finalizar, na maior parte dos livros "Prova de Fogo" e " A Cura Mortal" o personagem de Thomas encontra-se ferido psicologicamente ou fisicamente, mas nos filmes o protagonista consegue por diversas vezes escapar desse destino. Neste terceiro filme os experimentos que são feitos no celebro de Thomas para o estudo da cura no livro, nas telinhas são mostrados através do personagem de Minho. A referência fica clara, durante a invasão ao CRUEL, no salvamento do jovem, quando Tereza percebe que o sangue de Thomas é o resultado que esperavam. Então todo drama de ver Thomas ferido foi descartado novamente? Não, dessa vez. Janson (Homem-rato) faz as honras atirando em Thomas ao revelar que está infectado. A tensão que antecede os minutos finais foi um dos melhores momentos do filme. 

Essas foram minhas observações em relação filme versos filme, o que achou? Teve opiniões similares ao assistir o último filme da franquia? Sim? Não? Deixe um comentário. O Paraíso dos livros que saber! 


Confira trailer abaixo:


sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Resenha | Maze Runner - A Cura Mortal - James Dashner - Livro 3



Autor: James Dashner
Editora: V&R
Páginas: 368
Avaliação: 
   


No terceiro livro da franquia, A Cura Mortal, novamente os clarianos retornam a base do CRUEL, agora a proposta feita para eles é que para seguirem adiante com os experimentos o CRUEL precisa que todos eles recuperem a memória, sendo esse teste a única maneira de conseguir a cura para o Fulgor. Alguns concordam e acreditam no CRUEL, porém Thomas acha arriscado tal procedimento, fugindo da base com seus aliados.

Até este ponto o livro segue o padrão dos dois anteriores, mas com o avanço das páginas o cenário é modificado tantas vezes pela fuga dos personagens, que torna a leitura cansativa pela constante repetição de fatos. O que começa de maneira empolgante, fica tedioso. Além disso uma das minhas maiores expectativas era saber sobre a vida passada de Thomas e essa informação não é colocada no livro, o que me deixou decepcionada. 

Mesmo com essa ausência de narrativa referente ao protagonista, ao final da leitura é possível compreender o real motivo de Teresa dizer que "O CRUEL é bom" , diferente dos demais, a jovem sabia do plano B da Chanceler Ava Paige. Alguém que ordenou os mais drásticos procedimentos com suas cobaias humanas, mostra-se "altruísta", dando a humanidade uma nova chance para se regenerar. Vendo dessa maneira é um final significativo, mas também conflituoso para o leitor da série Maze Runner. Qual o sentido de tantos experimentos, se existia esse "baú de ouro" no final do arco-íris? O mundo não está em ruínas por causa do vírus? 

Metáfora a parte para não revelar mais Spoilers, ao ler essa série foi natural pensar que Thomas como o líder que mostrou ser ao longo da trilogia, encontraria uma solução para deter o CRUEL e isso não ocorre. Simplesmente a mesma pessoa que começa com a bagunça, termina. Foi como se Ava Paige tivesse sido criada apenas nesta intenção, destruir e reconstruir, um plano cheio de falhas com o único objetivo em comum com os clarianos: A sobrevivência dos seres humanos. Sua ação teria uma ênfase maior caso Ava fosse uma personagem melhor elaborada e não uma sombra, que sabíamos quem era, mas não aparecia para os clareanos nos livros.

Outro ponto que me incomodou foi Thomas ficar super indignado pelo fato de Teresa voltar a se aliar ao CRUEL ( afinal ela tinha motivos até consideráveis após recuperar sua memória) e ele sempre se referiu a ela como sua melhor amiga então a traição foi algo duro para Thomas. Porém quando ele descobre sobre Brenda, Thomas simplesmente não se importa com o fato dela ser do CRUEL. Brenda também o traiu e com ela foi tudo um mar de rosas? Por quê?

Muitas repetições, com um final que deixa a desejar, sendo inconclusivo. Além de muitas mortes que tinham tudo para serem evitadas. Estou tentando compreender o final de Newt até agora. O drama referente a ele foi um ponto interessante do livro, claro que sim, mas como Minho, Teresa e Thomas, ele buscava a liberdade que nos momentos finais foi tirada dele. Até o que aconteceu com Teresa teve mais sentido pelo motivo que citei acima. Enfim, este não foi o melhor livro da série. 

Era para ser um livro que encerra uma trilogia maravilhosa? Era, mas... 
Realmente estou me perguntando o que ocorreu, pois minhas expectativas eram altas e foram frustadas. 

Ainda tenho esperanças quando o assunto é Maze Runner, então vou ler os outros livros complementares. Espero sinceramente que eles sejam uma maré de significados que façam o final dessa trilogia ter todo o sentido ao concluir as leituras.

quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

6 Adaptações de Nicholas Sparks para assistir na Netflix #FicaADica



É fã de Nicholas Sparks e ama ficar horas da Netflix? 
Então essa postagem é para você!

Famoso pelos seus livros com amores avassaladores, dramáticos, algumas vezes drásticos e por vezes inesquecíveis, Nicholas Sparks é um sinônimo de sucesso quando o assunto é romance. A maioria de seus livros já foram adaptados para as telinhas dos cinemas e alguns deles ainda estão disponíveis neste mês de janeiro na nossa querida Netflix, então que tal maratonar os filmes do autor?  Segue a dica:

1. The Choice ( A Escolha) - 2016



" Travis é um jovem que não acredita em relacionamentos, até que Gabby se muda para a casa ao lado. Ela o instiga logo de cara e faz com que os dois se entreguem a uma relação que nenhum deles esperava."


2. O Melhor de Mim - 2014



"Amanda e Dawson se apaixonaram perdidamente na primavera 1964. Ela, uma garota bonita e de família tradicional, via no namorado um porto seguro para toda a sua paixão e seu espírito livre. Separados pelo destino, cada um seguiu o seu caminho até que, após 20 anos, um encontro inesperado traz à tona sentimentos que estavam perdidos no passado."


3. Um Porto Seguro - 2013



"Uma mulher misteriosa se muda para uma pequena cidade e recomeça sua vida. Apesar da moça estar determinada a não formar laços afetivos na nova cidade, ela não consegue cumprir esse objetivo e acaba levantando questionamentos sobre seu passado, que esconde um terrível segredo que continua assombrando a sua vida."



4. Um Homem de Sorte - 2012



"Logan Thibault volta da guerra do Iraque com a certeza de que seu talismã durante o conflito foi a fotografia de uma mulher que ele não conhece. Ele se aproxima dela sem lhe contar a verdade e se envolve em sua vida e com sua família."



5. Querido John - 2010



"Quando o soldado John Tyree conhece Savannah Curtis, universitária idealista, um forte romance nasce entre eles. Durante sete anos de um tumultuado relacionamento, o casal se encontra apenas esporadicamente e mantém contato por meio de cartas de amor. Porém, a correspondência entre o casal desencadeia consequências imprevisíveis."



6. A Última Música - 2010 



"A adolescente Ronnie não fica nada satisfeita quando a mãe decide enviá-la a uma cidade litorânea para passar o verão com o pai, que não vê há anos. Enquanto o pai tenta usar o amor que os dois compartilham pela música para se reconectar com a filha, Ronnie se apaixona por um bonitão local."


Vale lembrar, que a cada mês a Netflix costuma modificar seu catálogo de filmes. Outros dois sucesso como "Um amor para recordar" e "Noites de Tormentas" também adaptações dos livros de Nicholas Sparks, foram tirados recentemente, então não perca tempo e assista as opções acima já! #FicaADica. 

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Curiosidades | A primeira das nove pilhas de 2018 #Pilha1 #TOP10


Para aqueles que acompanham as minhas postagens aqui no Paraíso dos Livros, viram que este ano decidi não fazer uma lista com um número, gênero ou títulos específicos. Isso porque ao organizar a minha estante para criar a lista do ano de 2018, percebi que tinha muitos livros ainda "não lidos", sendo 85 livros no total. Na postagens em questão, informei os títulos das possíveis leituras deste ano ( Clique aqui para ver ). Mas como organizar uma ordem de leitura com tantos livros disponíveis?

Simples! Simples! 

Meu objetivo é ler o maior número de livros da minha estante, então irei dividi-los em 9 pilhas. Ao finalizar a leitura da primeira pilha, colocarei a próxima aqui no blog e assim por diante. Então, os primeiros 10 livros escolhidos para minha meta que fazem parte da #Pilha1 e #TOP10 são:


• Harry Potter e a ordem da fênix 
• A Garota calendário - janeiro  ( ✸ Lido >> Veja a Resenha aqui ) 
• A Garota calendário - fevereiro 
• Maze Runner - A cura mortal ( ✸ Lido >> Veja a Resenha Aqui )
• Maze Runner - ordem de extermínio 


• Maze Runner - arquivos
• Dead fall (duologia Blackbird)
• As crônicas de Bane
• Crepúsculo ed. de 10 anos (2 em 1) 
• A Hospedeira


Espero que tenho gostado da Pilha 1! 
Até a próxima pilha, leitores!

Notícias | Novos Trailers da 3° Temporada de Shadowhunters são divulgados


Faltando apenas dois mês para a estreia da 3° Temporada de Shadowhunters, ontem (18/01) o canal Freeform liberou mais dois trailers exclusivos da série. Para você que pensou que com o fim de Valentim a paz finalmente estava estabelecida, prepare-se, pois Lilith está chegando!

 É possível ver muitas referências dos livros no trailer, por exemplo o personagem de Simon com sua marca de Caim. Além disso há um pouquinho mais de Idris, o que com certeza deixa qualquer fã do universo dos caçadores de sombras super empolgado.

Shadowhunters volta dia 21 de Março na Netflix.

Confira os três trailers divulgados até o momento, abaixo:

Trailer 1 (legendado por Idris.Br):



 Trailer 2 (legendado por Idris.Br):





Trailer 3 ( áudio inglês):


sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Resenha | A Garota do Calendário - Janeiro - Audrey Carlan - Livro 1



Autor: Audrey Carlan
Editora: Verus Editora
Páginas: 144
Avaliação:
      



Para pagar a dívida de seu pai a um agiota no valor de um milhão de dólares, Mia Saunders, se submete a ser acompanhante de luxo. Sua missão é trabalhar durante um ano na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. O primeiro mês começa, e ela conhece Weston Charles Channing III, um roteirista de cinema, que balança com suas estruturas. Seria apenas trabalho, porém durante o mês o envolvimento de ambos cresce, seus sentimentos afloram, tornando tudo um jogo perigoso.

Ao ler "Janeiro", tudo indicava que Mia era a pessoa perfeita para esse tipo de trabalho pelo fato de não se envolver a ponto de se apaixonar ( Apesar da personagem deixar claro que se apaixonou por cada homem que já dormiu), e por causa de suas experiências passadas ela não acredita mais no amor. Ela aparenta ser inteligente, bonita, possui amor próprio, alguém que dificilmente entregaria seu coração de primeira. Porém basta avançar poucas páginas para a história mudar. Isso foi o que me fez gostar do primeiro livro dessa série. O fato de a atração virar rapidamente um romance.

Mia vê o trabalho como uma necessidade, mas ao conhecer Wes, essa perspectiva se altera. A relação deles começa como uma amizade, até que surge um desejo avassalador e recíproco. Tudo pelo prazer, eles se divertem e aproveitam a chance que o destino os deu. Jovens, se aventurando em suas fantasias sexuais por um mês. Porém, o combinado era não se apaixonar, e um deles se apaixona. Ambos não sabem como prosseguir, e Mia terá que partir em breve. Isso envolve o leitor, tornando a leitura rápida. 

Para um primeiro livro o conjunto dos fatores foi positivo, mas é inevitável não pensar que Mia talvez se apaixone pelo homem de cada mês. O que não faria muito sentido, já que seu foco é ajudar o pai, pela lógica o que ela está fazendo seria um sacrifício necessário para um fim e não "Mia e suas aventuras pelo prazer". Essa nova realidade da protagonista, só terá significado se ao longo da jornada Mia tiver lições a serem aprendidas. Espero que esse seja o caso. Pois, até o momento tudo foi muito fácil e clichê com um homem perfeito, amoroso e cavalheiro em seu caminho.

Queria muito que Mia tivesse aceitado a proposta de Wes, mas ela precisa continuar, então estou curiosa por Fevereiro. São mais onze meses para ela lidar com sentimentos, desejos e conflitos pessoais, como disse anteriormente espero que a protagonista evolua, amadureça e que as histórias sequentes não sejam apenas sexo, o que seria um tanto decepcionante. Bom, vou ler o próximo livro para saber o que acontecerá.


quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Cinebook | Maze Runner - Prova de Fogo # 52


Avaliação:   

ATENÇÃO: Este texto contém SPOILER! 



Assistir "Prova de Fogo" após ler o livro, me fez questionar se realmente estava assistindo a adaptação certa, pois há diferenças significativas em cena. Devo admitir que isso não me incomodou, acredito que todas as modificações feitas contribuíram para a melhor elaboração do filme de maneira geral, então, gostei muito do que vi em comparação ao livro. Como disse em minha postagem da resenha  de Maze Runner - Prova de Fogo, a leitura foi um pouco cansativa por seguir o mesmo padrão do primeiro livro da série. Já o filme, acontece o oposto. O que vemos é um novo universo cheio de ação e interatividade entre os personagens.  

É perceptível que a produção manteve o máximo de informações possíveis para que o filme fosse semelhante ao livro. Porém a forma como todo enredo foi dirigido permitiu que o telespectador compreendesse de uma forma mais direta como o grupo CRUEL manipula e usa os jovens em seus experimentos. Há a citações do Grupo B, seus testes e também têm diversas cenas com seres humanos infectados com o Fulgor, mostrando o estágio avançado da doença e como ela afeta o corpo do individuo em questão. 

São muitas as diferenças, então citarei apenas as mais perceptíveis aqui. A primeira delas é em relação a Teresa. A personagem segue com o grupo e está presente durante por toda jornada dos clareanos pelo deserto, o que intensifica seu ato de traição no final. Isso porque Thomas "salva" a jovem antes da fuga do alojamento do CRUEL. Modificando assim, o inicio da sequência de Maze Runner. 

No livro, Thomas e os outros garotos ficam por algum tempo sozinhos no alojamento do CRUEL até finalmente descobrirem que não foram resgatados e sim direcionados a segunda fase dos experimentos, que cada um possui um papel fundamental, e Teresa que está desaparecida, sendo nomeada como a traidora do grupo. No filme a traição de Teresa também acontece, no final ela também tem suas memórias restauradas (fato que só aparece no terceiro livro da série).

A segunda é a forma como Thomas conhece Jorge, Brenda e citação ao Braço Direito. No livro Thomas e seus amigos tem como missão encontrar o Refúgio Seguro para obterem a cura do Fulgor, já que todos estão infectados. No filme após seu encontro com Jorge ele diz que a única forma de ficarem seguros, longe das garras do CRUEL é encontrarem o Braço Direito. As encarregadas de Teresa,  Harriet e Sônia que a ajudam a sequestrar Thomas, e pertencem ao Grupo B aparecem no filme, apenas nas montanhas do Braço Direito.

A ligação de Teresa e Aris também não é mostrada do filme. Já no livro ambos são os causadores de um dos momentos mais cruéis em relação a Thomas. Arriscaria dizer que um dos piores e também melhores momentos do segundo volume de Maze Runner.  

O beijo de Thomas e Teresa também foi modificado, e o interessante da cena é que ele beija Brenda enquanto o rosto da moça se transforma no de Teresa e ele diz: "-Você não é ela". Isso deixa evidente o conflito de sentimentos que ele possuí pelas duas moças. No livro ambos sentimentos têm maior desenvolvimento, e fazer essa referência no filme foi um ponto muito positivo.

Por fim, Thomas, como um verdadeiro líder promete que salvará Minho das mãos do inimigo (Isso também não acontece no livro), então tudo indica que irá retornar para a locação do CRUEL  no terceiro e último filme da série. Já inicie a leitura de a Cura Mortal, e tudo que posso dizer é que com material que possuem o último filme tem tudo para ser um grande sucesso. Espero que continuem explorando este universo e fazendo essa junção do semelhante com novo que só tem elevado as produções nas telinhas, ganhando mais fãs e leitores para essa ótima série. 

Até a Cura Mortal, pessoal! 


Confira Trailer legendado abaixo:


Resenha | Maze Runner - Prova de Fogo - James Dashner - Livro 2




Autor: James Dashner
Editora: V&R
Páginas: 400
Avaliação: 
   


Que a fase dois se inicie!

Após todos os desafios enfrentados pelos clarianos no labirinto e perda de muitos amigos queridos, enfim eles conseguiram encontrar uma saída. Supostamente livres, todos os sobreviventes são levados por encarregados do CRUEL. Tudo indica que finalmente estão seguros, longe do vírus Fulgor que deterioriza a raça humana. Porém rapidamente Thomas e os outros descobrem que tudo que viveram era um teste, a primeira fase do experimento no qual todos são cobaias e que a segunda fase no deserto está para começar. 

O segundo livro da série Maze Runner mantém o padrão do primeiro, tudo é bem semelhante a um jogo, todos novamente lutando pela sobrevivência. Talvez por essa razão não tenha gostando tanto quanto "Correr ou Morrer", já que antes era algo novo e agora parece "um pouco mais do mesmo" não oferecendo muita expectativa. Porém isso é compensado pelo quesito "surpresa" que o livro apresenta. Várias traições, fatos inesperados e até mesmos cruéis que acontecem com o protagonista Thomas são relevantes para classificação desse volume. Então mais uma vez, Maze Runner gera curiosidade apesar da leitura cansativa. 

Outros pontos positivos são:
• Os novos personagens como Brenda, Aris e Jorge que possuem grande importância no contexto geral; 
• A descrições sobre o vírus Fulgor e explicações mais detalhadas sobre a representatividade do CRUEL na história.
• Desenvolvimento e classificação dos personagens possibilitando que o leitor tenha uma base sobre como cada individuo está contribuindo para o experimento.
• A existência do Grupo B, como parâmetro de comparação. 

Enfim, não diria que é o melhor livro da série, mas a leitura do mesmo é necessária para compreensão de alguns fatores essências. Além disso, o final faz o leitor questionar o que vem a seguir, novamente a curiosidade motiva a leitura do próximo volume "A Cura Mortal".

Atividades do Blog