segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Resenha | Maze Runner – Correr ou Morrer – James Dashner - Livro 1




Autor: James Dashner
Editora: V&R
Páginas: 426
Avaliação: 
     


Após ser enviado para um local chamado Clareira, Thomas descobre que está preso dentro de um enorme labirinto com bestas nomeadas verdugos. Tudo segue um mesmo padrão, os enviados para este local não conseguem se lembrar da sua vida passada, todos são garotos adolescentes e a cada mês a caixa sobe com um novo clareano. Porém com a sua chegada as coisas começam a mudar. Thomas sente dentro de si que precisa desvendar os mistérios do labirinto e se tornar um corredor. No dia seguinte quando Teresa chega a Clareira, todos começam a desconfiar da ligação enigmática entre ele e a jovem. O bilhete que ela traz, parece confirmar o início das mudanças: “Ela é a última”. 

Essa foi a primeira vez que li o livro após ter assistido o filme, e para minha surpresa isso não estragou a leitura, pelo contrário fez a minha curiosidade aumentar a cada página. Apesar de terem suas óbvias similaridades, muitos fatos foram modificados no filme. O livro oferece mais envolvimentos e melhor elaboração de alguns acontecimentos. É possível compreender todo o conflito interior do personagem de Thomas e o estranhamento dos demais garotos em relação a ele. 

Como em um jogo, onde cada passo leva a uma próxima pista, o livro envolve o leitor dentro do seu ciclo vicioso é correr ou morrer literalmente, fazendo o leitor procurar as respostas junto com os clareanos. Durante dois anos tudo parecia igual e cômodo a todos eles, mas Thomas acende uma chama de esperança para suas mentes perdidas, alimentando-os com suas dúvidas, questionando todos e tudo ao seu redor. Isso faz Gally odiá-lo, enquanto outros preferem segui-lo em sua busca pela verdade como Minho, Chuck e Newt por exemplo. 

A telepatia não mostrada no filme.
Desculpem-me pelo Spoiler, mas algo que é realmente interessante neste livro, que se diferencia do filme é saber que Teresa e Thomas são telepatas. Eles conversam em boa parte da história nos momentos mais inesperados possíveis, deixando claro que possuem um vínculo mesmo que esse não seja lembrado. Estou realmente curiosa para saber como essa ligação irá evoluir nos próximos livros da série, afinal “Correr ou Morrer” deixa um gostinho de mais ao que diz respeito à Teresa e Thomas. 

“Cruel é bom”. Afinal o que isso quer dizer? Mesmo quando se encontra o que procura, ainda há o que se buscar. Essa é a mensagem final de Correr ou Morrer. Tudo foi apenas o inicio de um grande experimento em andamento, a primeira fase foi concluída, porém existe algo maior a ser desvendado. 

Surpreendente, intrigante, envolvente e altamente viciante, não há como parar de ler até a página final. Que segunda fase comece, que venha a Prova de Fogo! #Recomendo

Nenhum comentário:

Postar um comentário