quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Cinebook | Episódio 2x18 – Desperte ou desapareça para sempre (Shadowhunters #Review) #50




ATENÇÃO: Este texto contém SPOILER! Caso não tenha assistido o episódio não leia o conteúdo abaixo.

No episódio anterior o inteligente Max descobre que Sebastian é Jonathan Christopher Morgenstern. Sentindo-se ameaçado ele dá um “jeitinho” no garoto, com uma forte pancada na cabeça Max fica desacordado em estado grave. A única forma de salvá-lo é ter seu cérebro reiniciado pelo Irmão do Silêncio Enoch (referência As Peças Infernais) já que Magnus Bane não pode ajudá-lo. Para todos aqueles que leram os livros (incluindo-me) por mais triste que isso possa parecer esperavam a morte de Max. Porém os produtores resolveram seguir outra linha pelo menos por enquanto. Sinceramente eu ficaria um pouco decepcionada se o personagem morresse após uma “simples pancada” e não em uma cena grandiosa (não que essa tem sido ruim, mas tem que ser algo com mais adrenalina e lágrimas dos demais shadowhunters). O impacto da morte de Max é algo muito forte nos livros e merece um episódio dedicado ao personagem. Em todo caso, é bom saber que teremos mais cenas inesperadas de Max antes de seu fim e só o fato de ver toda família Lightwood reunida em cena foi um colírio para os olhos, gosto tanto quando isso acontece. Então, Viva o Max!

Esse episódio poderia ser renomeado para Malec 2.0.

Uma curiosidade de “Desperte ou desapareça para sempre” é que os produtores resolveram escutar os fãs do casal favorito da série #Malec e consertar falhas que já vinham se arrastando desde a primeira temporada. Não poderia se diferente, afinal o sentimento entre esses dois nos livros é algo profundo e muito intenso. Mesmo Harry e Matt sendo excelentes em suas interpretações, ficava um vazio entre eles de um relacionamento que avançava mostrando muitos beijos, mas pouco toque com uma intimidade ilusória (não que eu seja a favor de mostrar cenas de nudez o tempo todo não é isso, não entendam mal, mas já reparou como um simples abraço ou um toque de mãos é uma coisa rara entre eles?). Em outras palavras foi tudo muito rápido sem muito amadurecimento como acontece com Simon e seus pares.

No episódio anterior Alec mentiu para Magnus sobre a Espada Alma criando uma divisão clara entre eles. Magoado, Magnus resolve aceitar a proposta de se unir a Rainha Seelie para proteger o submundo. Porém ele nota que ela quer na verdade iniciar uma rebelião contra os caçadores de sombras. Divido, ela estabelece um prazo a Magnus dando-lhe uma rosa dizendo: “Assim que todas as pétalas escurecem o seu tempo acabou”. E assim começa a sessão flashback de cenas que ficaram nas entrelinhas sem continuações e tiveram muitas reclamações dos fãs.

De volta à primeira temporada, lembram quando Alec dá sua força a Magnus para salvar a vida de Luke? Ele dormiu na casa do feiticeiro, porém o que aconteceu lá era um segredo até este episódio. Basicamente o assunto se resume em como confiança entre seres do submundo com shadowhunters podem ser mal vista aos olhos dos demais seres de cada espécie. Tanto Alec quanto Magnus, dizem que a confiam um no outro de maneira natural, mesmo sem entender o por que. Uma observação importante: Eles ainda não tinham um relacionamento e quando vemos os outros dois flashbacks é perceptível que o foco de exibi-los foi mostrar o amadurecimento do casal.

O segundo e o terceiro são um conjunto da mesma cena na primeira vez de Malec que foi ao ar na primeira parte da segunda temporada. Outro ponto que os leitores reclamaram muito. Nos livros o fato também não ganhou muitos detalhes, mas nossa diva Cassandra Clare escreveu para os fãs a cena belíssima da primeira vez Malec, então porque os produtores ignoraram isso, gente? Então a pedidos, as lembranças de Magnus enfim revelaram este momento cheio de química, amor e vulnerabilidade do feiticeiro. Magnus perde o controle e mostra sua marca de feiticeiro a Alec (seus olhos de gato) e gentilmente o shadowhunter diz que eles são lindos assim como Magnus. Já no dia seguinte a conversa é sobre medo e Magnus revela que esteve fechado por mais de 100 anos até conhecer Alec. Para bons entendedores o feiticeiro sempre teve medo do amor verdadeiro e acredita ao encontrar Alexandre Lightwood sua busca terminou (Foi tão comovente). E para quem disse que Harry e Matt se sentiam incomodados de fazer cenas intimas ficou claro que eles estavam bem à vontade um com o outro em cena.

Como tudo que é bom dura pouco, vários flashbacks dos melhores momentos de #Malec em um só episódio só poderiam significar uma coisa ao sobrar uma última pétala rosada: Término do casal. É triste pessoal (principalmente quando Alec chora), espero que eles voltem o mais breve possível, porém por enquanto vê-los em cena separados fortalece o sentimento dos personagens para a série de TV, além daquele clima que fica entre “ex parceiros” que torna tudo mais especial quando se tem a reconciliação.

Luke de volta em cena.

Algo que tenho reclamando com freqüência é a falta de Luke na série e como ele perdeu foco depois da morte de Jocelyn. Porém neste episódio ele veio com força total. Além de Luke ter indo com Magnus a Corte Seelie, um novo integrante entra para alcatéia de Luke: Bartholomew Veslaquez, conhecido no universo dos Instrumentos Mortais como Bat. Como líder ele vai até o lobo que está criando novos lobisomens e tem uma luta digna de um alfa. Falando de lobos, temos o primeiro indicio que Jordan aparecerá na série. Com o recente ataque de Bat, Maia desabafa com Simon como se transformou, contando que foi seu ex namorado que o fez e como sempre culpou o amor por tudo que lhe aconteceu. Agora que finalmente Simon compreende os motivos de Maia ser alguém tão reservada, eles têm o seu primeiro beijo. Como já disse anteriormente se tem um personagem que tudo acontece no
tempo certo é Simon, então novamente pontos para os produtores.

Agora algo que ainda não entendi é porque essa parceira policial do Luke existe! Ela não tinha perdido a memória? Poxa vida, foi só a memória de Simon produção? Essa personagem está muita chata, espero que ela faça o que tenha que fazer e desapareça na terceira temporada.

Enfim Clary e os demais shadowhunters descobrem que Sebastian é Jonathan Morgenstern!

Só eu que senti o coração apertar quando Jace recebeu a mensagem que “We’ve lost Max”? Que susto foi esse? E a seqüência de total adrenalina que se tem depois foi tão empolgante com Sebastian lutando pegando “o espelho”, Jace correndo até Alec percebendo que foi enganado por Jonathan, Clary mostrando o qual inteligente é ao extrair eletro do chicote de Izzy para descobrir quem é Jonathan. Por favor, continuem com esses finais até 2x20!

Clary pede que Sebastian segure o eletro por alguns segundos para provar que não é Jonathan, ele faz e saí rapidamente. Porém não convencida Clary vai atrás de Sebastian e como sua infalível intuição nunca falha ela descobre a verdade. Até agora essa foi à melhor cena entre Jonathan e Clary. Sebastian mostra toda sua resistência a dor, o sentimento perturbado pela sua irmã e pela missão que precisa seguir por conta do pai. A única coisa que não curti nessa cena foi Clary explodindo aquelas portas de metal, ficou feio isso ai produtores...tava tudo tão perfeito custava ser o Jace ou Alec abrir as portas e Sebastian fugir? Só uma observação.

Seguindo adiante, Clary usa a runa de bloqueio para impedir que o espelho seja usado, porém o mesmo vira pó. Jace estranha o fato de o poder angelical de Clary conseguir destruir um instrumento mortal e após uma conversa de nosso quarteto favorito Jace, Clary, Alec e Izzy sobre como Sebastian os manipulou tão bem, Clary chega à conclusão que o lado Lyn é o Espelho Mortal. Enfim o fim está próximo!

Shadowhunters vai ao ar segunda-feira na Freeform e terça na #Netflix.

Para você que ainda não assistiu este episódio de Shadowhunters, Confira o Trailer abaixo:



Nenhum comentário:

Postar um comentário