sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Notícias | Estreia da 3° Temporada de Shadowhunters é adiantada



É isso mesmo leitores! 

Shadowhunters voltará para a telinha mais cedo no próximo ano!

Ontem o Showrunner Rodd Slavkin confirmou através do seu twitter que a terceira temporada de Shadowhunter terá estreia dia 30 de Março na freeform e dia 21 de março na Netflix. 

Confira abaixo:



Após o comunicado a TVLine, também liberou três fotos, uma com #Clace e as outras duas de Magnus Bane e seu "rival".






quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Notícia | Último livro da série Como Eu Era Antes de Você, de Jojo Moyes, ganha capa



Preparem os lencinhos, Chegou a hora de dizer adeus a Lou, leitores! 


O livro final da série Como Eu Era Antes de Você, de Jojo Moyes teve sua capa divulgada pela Editora Intrínseca. "Ainda sou eu" será publicado dia 08 de Fevereiro de 2018 e já tem sua pré-venda liberada em várias livrarias conhecidas. 

"Em Ainda sou eu, Lou Clark chega em Nova York pronta para recomeçar a vida, confiante de que pode abraçar novas aventuras e manter seu relacionamento a distância. Ela é jogada no mundo dos super-ricos Gopnik - Leonard e a esposa bem mais nova, e um sem-fim de empregados e puxa-sacos. Lou está determinada a extrair o máximo dessa experiência, por isso se lança no trabalho e, antes que perceba, está inserida na alta sociedade nova-iorquina, onde conhece Joshua Ryan, um homem que traz consigo um sopro do passado de Lou.

Enquanto tenta manter os dois lados de seu mundo unidos, ela tem que guardar segredos que não são seus e que podem mudar totalmente sua vida. E, quando a situação atinge um ponto crítico, ela precisa se perguntar: Quem é Louisa Clark? E como é possível reconciliar um coração dividido?"

Fonte: Editora Intrínseca

Resenha | A Garota Dinamarquesa – David Ebershoff




Autor: David Ebershoff
Editora: Fabrica231
Páginas: 368
Avaliação:     



O livro é baseado na história real do pintor dinamarquês Einar Wegener, e se passa em Copenhague por volta de 1925. Relatando os principais acontecimentos que levaram Einar a descobrir sua transexualidade após um casamento duradouro com Greta também pintora. O livro consegue transmitir toda a mensagem e impacto do sofrimento de ambos durante a transição. É possível compreender todo o conflito de Einar numa época que praticamente o assunto era algo novo, sem referências e também a luta de Greta pelo marido e sua força para seguir adiante. 

Tudo começa como uma brincadeira com Einar colocando meias e sapatos para Gerda pintar um quadro que precisa finalizar e isso faz Einar ativar uma parte adormecida que sempre esteve dentro de si. Assim Lili (nome que adota como mulher) nasce. Greta se sente encurralada entre a vontade de ter seu marido de volta e deixar Lili se libertar. Logo, Greta se torna a base de Einar, e Einar a força que move Greta. É uma situação que foge do controle, tudo que haviam construído no matrimônio, e até mesmo em suas vidas profissionais repentinamente parecem estar errado e fora do lugar. 

Ler sobre Greta fez com que eu pensasse na força, dedicação e amor que ela precisou ter para superar e ajudar seu marido com toda a situação, transição em tempos que não existia sequer informações suficientes para compreensão dos fatos. Então isso realmente comove durante a leitura. Diferente do filme, onde o amor parece ser o que faz Gerda agir, a percepção que temos da personagem no livro é que ela sempre buscou por respostas e não parava de procurá-las chegando ao seu limite. Ela relembra muitos fatos do seu ex marido comparando-o a Einar, além de pedir ajuda diversas vezes para Hans e Carlisle seu irmão. 

De maneira geral, o livro consegue abordar o assunto de forma bem completa, trazendo a mensagem que por mais que Einar insistisse em dizer ele e Lili fossem pessoas diferentes presas em um mesmo corpo todas as partes que formavam Einar criaram Lili no final das contas. Como o próprio escritor diz: A maior criação de Einar foi Lili Elbe. Ao reconhecer a sua transexualidade, Einar queria apenas viver quem realmente era em seu interior, viver livremente o amor ao lado de Henrik, ter filhos, simplesmente ser feliz sem prejudicar a vida de Greta, alguém que ele sempre foi eternamente grato por estar ao seu lado até os últimos dias. Enfim, Einar buscou seu maior objetivo, seu maior sonho e conseguiu se tornar em quem sempre quis ser.

Por que você deve assistir “Good Morning Call” ? #FicaADica


Avaliação:    


ATENÇÃO: O conteúdo abaixo contêm SPOILERS

Sempre gostei muito de animes e séries japonesas e recentemente em minhas buscas pelo Netflix encontrei um dorama (drama televisivo do Japão) “Good Morning Call” e simplesmente fiquei encantada. “Good Morning Call” possuí duas temporadas até então no Netflix e conta a história de Nao Yoshikawa e Hisashi Uehara, adolescentes menores de idade que após serem enganados por uma imobiliária são obrigados a morarem juntos no mesmo apartamento. Porém esse fato é algo atípico e logo causa muitos problemas para os dois.



Enquanto Nao é uma garota extrovertida, amorosa demonstrando facilmente suas emoções, o jovem Uehara é introvertido, têm dificuldades em fazer amizades e guarda todo e qualquer sentimento para si. Porém o que mais chamou minha atenção foi que com avanço dos episódios percebi como as diferenças que os faziam brigar o tempo todo, acabam os aproximando, deixando-os a cada segundo mais parecidos. O que fez eu ficar a cada instante mais interessada em saber como terminaria a história dos dois.



Se você assim como eu gosta de clichês adolescentes, acredito é irá adorar esse dorama. A amizade e o amor de ambos os personagens acontece naturalmente, de maneira pura, sem intenção. Toda a atmosfera que envolve as primeiras experiências da puberdade, triângulos amorosos, os sonhos e desejos de um primeiro amor fazem parte do drama de “Good Morning Call”. Também vemos os costumes do país, conhecendo alguns hábitos da cultura japonesa.  


Além disso, a segunda temporada consegue ser ainda mais empolgante que a primeira mostrando como os desafios ultrapassados, transformaram a vida de Nao e Uehara agora que estão da faculdade e não podem mais morar juntos. E também como um amor puro pode sobreviver após tantos conflitos enfrentados. 



Enfim amei! Espero que a Netflix anuncie uma terceira temporada em breve!  Estou apaixonada por “Good Morning Call” e seus personagens!


Para você que curtiu minha dica, deixo apenas a seguinte observação: O dorama tem áudio apenas em Japonês sem dublagem em português. Sendo legendado em: alemão, inglês, italiano, japonês e português. Para aqueles que não gostam de legendados, acredite esse é o menor dos detalhes, o dorama é tão fofo, divertido e apaixonante que quando notar estará viciado e já terá acabado de assistir! Enfim vale a pena conferir! #Recomendo

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Curiosidades | Minhas leituras de Novembro



Ahh Novembro, e a falta de tempo!

Um mês de provas e muito trabalho resulta sempre em poucas leituras para mim, o que realmente não me deixa muito feliz, mas apesar de ficar com o tempo bem limitado para as leituras, consegui ler duas que estavam a muito tempo em minha lista da meta anual e finalizá-las ao mesmo tempo no último dia do mês. Sendo elas: " A Garota Dinamarquesa" e " Maze Runner - Correr ou Morrer". Então vamos lá!  


Desde que lançou a adaptação comprei este livro e prometi que só assistiria o filme após lê-lo. E que bom que fiz isso, pois o filme emociona, porém o livro é denso e mais completo. Ele consegue transmitir toda a mensagem, seu impacto, o drama que o pintor Einar Wegener viveu ao descobrir sua transexualidade após um casamento duradouro com Gerda Wegener também pintora. O que começa como um favor com Einar colocando meias e sapatos para Gerda pintar um quadro que precisa finalizar, acaba o fazendo ativar uma parte adormecida que sempre esteve dentro de si. Assim Lili (nome que adota como mulher) nasce. Gerda se sente encurralada entre a vontade de ter seu marido de volta e deixar Lili se libertar, tocando o leitor pelo conflito diário que se torna a vida de ambos. Enfim, é uma história baseada em casos reais que vale a pena ler!



Já com "Maze Runner" - Correr ou Morrer aconteceu o oposto. Assim que saiu o filme no cinema assisti sem ter nenhuma referência e gostei da história, ficando super curiosa. Essa foi a primeira vez que li o livro após ter assistido o filme, e para minha surpresa isso não estragou a leitura, pelo contrário fez a minha curiosidade aumentar a cada página. Apesar de terem suas óbvias similaridades, muitos fatos foram modificados no filme. O livro oferece mais envolvimentos e melhor elaboração de alguns acontecimentos. É possível compreender todo o conflito interior do personagem de Thomas e o estranhamento dos demais garotos em relação a ele. O livro envolve o leitor dentro do seu ciclo vicioso é correr ou morrer literalmente, e me fez procurar as respostas junto com os clareanos. Muito bom! #Recomendadíssimo para quem assim como eu ama séries e quer iniciar um nova, fica a dica!


Espero que tenham gostado das minhas leituras de Novembro. Até o próximo mês, leitores!




Notícias | "Voldermort - Origins of the Heir" têm data de lançamento divulgada


Dirigido por Gianmaria Pezzato e produzido por Stefano Prestia, o fã-filme "Voldemort- Origins of the Heir" teve sua data de lançamento divulgada pela oficial e um novo trailer foi liberado, será dia 13 de janeiro, no YouTube. Vale lembrar que o filme não possui nenhuma ligação com a Warner Bros. e  J.K. Rowling, tendo seu projeto reconhecido após a postagem do primeiro trailer que viralizou nas redes sociais. 


A história conta o passado de Voldemort, dez anos após sua formatura em Hogwarts. Transformado pela arte das trevas ele buscará a imortalidade. Grisha McLaggen, herdeira de Gódrico Grifinória, será quem tentará detê-lo.

Confira Trailer abaixo:

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Cinebook | A Garota Dinamarquesa #51


Avaliação:    



ATENÇÃO: Este texto contém SPOILER! 


O filme é baseado na história real do pintor dinamarquês Einar Wegener, e se passa em Copenhague por volta de 1925. Ele relata os principais acontecimentos que levaram Einar a descobrir sua transexualidade após um casamento duradouro com Gerda Wegener também pintora. 

Após finalizar a leitura do livro que inspirou o filme, corri para assistir a adaptação. O livro consegue transmitir toda a mensagem, seu impacto, tendo muito mais informações dos personagens em questão, porém apenas o filme me levou as lágrimas. 

É possível compreender todo o conflito de Einar numa época que praticamente o assunto era algo novo e sem referências. A luta de Gerda pelo marido e sua força para seguir adiante toca o telespectador. Mesmo que tenha ficando muito mais emocionada com o enredo do filme e seu final, não descartaria a leitura do livro, pois ele tem detalhes ricos para compreensão de Einar e Gerda, explicando de maneira mais completa a vida do pintor. 

Tudo começa como uma brincadeira com Einar colocando meias e sapatos para Gerda pintar um quadro que precisa finalizar e isso faz Einar ativar uma parte adormecida que sempre esteve dentro de si. Assim Lili (nome que adota como mulher) nasce. Gerda se sente encurralada entre a vontade de ter seu marido de volta e deixar Lili se libertar. 

Porém o sentimento de Einar por sua esposa Gerda é tão puro, sincero que mesmo como Lili ele não consegue deixar de amá-la. Amor esse que passa de carnal para algo similar ao sentimento de irmãs. Gerda é a base para Einar, assim como Einar parece ser a força que move Gerda. É uma situação que foge do controle, tudo que haviam construído no matrimônio, e até mesmo em suas vidas profissionais repentinamente parecem estar errado e fora do lugar. Ver a representação de Gerda me fez pensar na força, dedicação e amor que ela precisou ter para superar e ajudar seu marido com toda a situação, transição em tempos que não existia sequer informações suficientes para compreensão dos fatos. Então isso realmente toca e emociona. 
Alguns fatos são alterados no filme para melhor andamento em tela, como por exemplo:

• No livro Carlisle, irmão de Gerda é quem ajuda Einar em suas visitas aos médicos. No filme Hans (afeto de infância de Einar) é quem assume o papel. Acredito que essa mudança contribuiu em cena, já que o personagem acaba se apaixonado por Gerda e também tenha sido o primeiro homem que Einar tenha beijado quando era jovem. Outro ponto que gostei muito foi Hans ter reconhecido o amigo que não via há muito tempo, mesmo como Lili e assim começar a ajudar Gerda por entender rapidamente à situação por um todo. No livro fica tão claro que Lili e Einar são pessoas diferentes que a impressão que tinha era que ninguém conseguia reconhecê-lo como mulher, incluindo Hans que só descobre após Einar o procurar e contar tudo. 

• No filme Einar apanha por dois homens preconceituosos e Henrik (amor de Lili) é um homem homossexual sendo apenas um amigo após a mudança de gênero do protagonista. No livro o primeiro item não existe e Henrik apesar de descobrir que Lili é Einar ele não ama um gênero e sim a alma da pessoa por quem se apaixonou, então quando eles se reencontram Hans quer viver esse amor independente da imagem exterior Einar(Lili). Seria lindo ver isso em cena. Mas hoje é compreensível que os roteiristas queiram mostrar o preconceito e as diferenças entre o homossexualismo e a transexualidade, então acaba sendo válida a mudança na adaptação.


Sobre o final, o que posso dizer é que por se tratar da vida de pintores, a questão visual do filme foi muito bem elaborada, contribuindo para a atmosfera que evolve o criador e sua criatura. Durante sua vida como Einar ele por muitas vezes retratava em suas telas o pântano em que viveu na infância, e o sentimento que fica quando o local real aparece em cena é que a maior arte que Einar criou foi Lili (exatamente como o autor do livro cita em suas páginas), como se ele repeti-se suas telas a procura de algo que lhe faltava. Em outras palavras todas as partes que formavam Einar criaram Lili no final das contas, mesmo que ele insistisse em dizer que ambos fossem pessoas diferentes presas em um mesmo corpo. Quando Gerda o beija na boca antes de sua última operação e ele chora compulsivamente como Lili é como se naquele instante sua ficha enfim caísse. Einar buscou seu maior objetivo, seu maior sonho e conseguiu se tornar em quem sempre quis ser verdadeiramente no final de sua vida. Enfim, uma bela história de amor incondicional muito emocionante. #Recomendo



Confira o Trailer Legendado abaixo:

Resenha | Maze Runner – Correr ou Morrer – James Dashner - Livro 1




Autor: James Dashner
Editora: V&R
Páginas: 426
Avaliação: 
     


Após ser enviado para um local chamado Clareira, Thomas descobre que está preso dentro de um enorme labirinto com bestas nomeadas verdugos. Tudo segue um mesmo padrão, os enviados para este local não conseguem se lembrar da sua vida passada, todos são garotos adolescentes e a cada mês a caixa sobe com um novo clareano. Porém com a sua chegada as coisas começam a mudar. Thomas sente dentro de si que precisa desvendar os mistérios do labirinto e se tornar um corredor. No dia seguinte quando Teresa chega a Clareira, todos começam a desconfiar da ligação enigmática entre ele e a jovem. O bilhete que ela traz, parece confirmar o início das mudanças: “Ela é a última”. 

Essa foi a primeira vez que li o livro após ter assistido o filme, e para minha surpresa isso não estragou a leitura, pelo contrário fez a minha curiosidade aumentar a cada página. Apesar de terem suas óbvias similaridades, muitos fatos foram modificados no filme. O livro oferece mais envolvimentos e melhor elaboração de alguns acontecimentos. É possível compreender todo o conflito interior do personagem de Thomas e o estranhamento dos demais garotos em relação a ele. 

Como em um jogo, onde cada passo leva a uma próxima pista, o livro envolve o leitor dentro do seu ciclo vicioso é correr ou morrer literalmente, fazendo o leitor procurar as respostas junto com os clareanos. Durante dois anos tudo parecia igual e cômodo a todos eles, mas Thomas acende uma chama de esperança para suas mentes perdidas, alimentando-os com suas dúvidas, questionando todos e tudo ao seu redor. Isso faz Gally odiá-lo, enquanto outros preferem segui-lo em sua busca pela verdade como Minho, Chuck e Newt por exemplo. 

A telepatia não mostrada no filme.
Desculpem-me pelo Spoiler, mas algo que é realmente interessante neste livro, que se diferencia do filme é saber que Teresa e Thomas são telepatas. Eles conversam em boa parte da história nos momentos mais inesperados possíveis, deixando claro que possuem um vínculo mesmo que esse não seja lembrado. Estou realmente curiosa para saber como essa ligação irá evoluir nos próximos livros da série, afinal “Correr ou Morrer” deixa um gostinho de mais ao que diz respeito à Teresa e Thomas. 

“Cruel é bom”. Afinal o que isso quer dizer? Mesmo quando se encontra o que procura, ainda há o que se buscar. Essa é a mensagem final de Correr ou Morrer. Tudo foi apenas o inicio de um grande experimento em andamento, a primeira fase foi concluída, porém existe algo maior a ser desvendado. 

Surpreendente, intrigante, envolvente e altamente viciante, não há como parar de ler até a página final. Que segunda fase comece, que venha a Prova de Fogo! #Recomendo

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Filme | Primeiro Cartaz de Maze Runner : A Cura Mortal é divulgado




Ontem (30/11) a página oficial do facebook (Facebook Maze Runner) da série Maze Runner divulgou o primeiro cartaz do filme "A Cura Mortal", adaptação do terceiro livro.

No mesmo está escrito : "Todo Labirinto tem seu fim" , Será?

Acabei de ler o primeiro livro "Correr ou Morrer" e super recomendo, espero que dê tempo de terminar a série até Janeiro (rs). Estou mega empolgada para este filme e você? 

Maze Runner: A Cura Mortal, chega aos cinemas em 25 de Janeiro de 2018.


quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Notícias | Terceiro livro de "Os Artifícios das Trevas" têm capa divulgada


O mistério acabou!

A série "Os Artifícios das Trevas"  se passa cinco anos após os acontecimentos Cidade do Fogo Celestial (Os Instrumentos Mortais) e tendo foco nos personagens de Emma Carstairs e em seu parabatai Julian Blackthorn.

Enfim o terceiro livro da série "Os Artifícios das Trevas" teve sua capa divulgada. A autora Cassandra Clare já havia mostrado parte da capa, mas vê-la por completo é ainda mais maravilhoso!

A Amazon e Idris Brasil postaram a sinopse de Rainha do Ar e da Escuridão” (Crônicas dos Caçadores de Sombras). Confira abaixo:

"E se a condenação for o preço do amor verdadeiro?
Sangue inocente foi derramado nas escadas do Salão do Conselho, a fortaleza sagrada dos Caçadores de Sombras. Após a morte de Livia Blackthorn, a Clave está à beira da guerra civil. Uma parte da família Blackthorn voa para Los Angeles, procurando descobrir a fonte da praga que está destruindo a raça dos feiticeiros. Enquanto isso, Julian e Emma tomam medidas desesperadas para colocar seu amor proibido de lado e realizar uma missão perigosa em Faerie a fim de recuperar o Volume Negro dos Mortos. O que eles encontram nas Cortes é um segredo que pode destruir o Mundo das Sombras e abrir um caminho sombrio para um futuro que nunca poderiam ter imaginado. Encontrando-se em uma corrida contra o tempo, Emma e Julian devem salvar o mundo dos Caçadores de Sombras antes que o poder mortal da maldição parabatai os destrua e a todos a quem eles amam."


A Editora Galera Record, ainda não informou sobre a data de lançamento. Espero que seja em breve, pois já quero o meu volume! 

Fonte: Idris Brasil


segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Filme | Primeiro trailer oficial de Cinquenta Tons de Liberdade é divulgado


O último filme da série dos "Cinquenta Tons" chega aos cinemas em Fevereiro de 2018, e hoje (06/11) a Universal Pictures Brasil liberou o trailer oficial de "Cinquenta Tons de Liberdade". 

Para os que leram o segundo livro da série "Cinquenta Tons Mais Escuros", o último capítulo deixa o quesito "vingança" no ar , sugerindo que a união de ambos encontrará obstáculos e assim acontece. De início tudo são flores, mas o estilo controlador de Grey, fará Ana questionar sobre o seu casamento. Além disso Hyde está de volta aterrorizando não apenas Anastasia, como toda família Grey.

Exatamente quando Hyde aparece que a história comerá a ficar interessante, saindo da zona de conforto, o estilo "Tons de Cinza" que já conhecemos bem. O personagem de Hyde trás diversos problemas, contratempos, dinâmica, ação e mais revelações sobre o passado obscuro de Christian. 
Preparem-se!

Confira Trailer abaixo:


Resenha | Princesa Mecânica - Cassandra Clare - Livro 3




Autor: Cassandra Clare
Editora: Galera Record
Páginas: 434
Avaliação:
      


O terceiro e último livro da série "As Peças Infernais" descobrimos enfim a verdadeira origem de Tessa Gray. Assim que o livro se inicia, há uma introdução de um drástico acontecimento da família Starkweather, o qual tem ligação direta com a protagonista. Com a localização de Axel Mortmain ainda desconhecida, Charlotte novamente sente-se encurralada pelo Cônsul Josiah Wayland, que exige resultados. Enquanto Will precisa se adaptar novamente com a presença de sua irmã Cecily, os irmãos Lightwood sofrem uma grande decepção pela doença de seu pai Benedict Lightwood. E agora que Jem e Tessa estão noivos, o jovem toma uma medida desesperada para viver seu grande amor.

De todos os livros que li de Cassandra Clare, esse foi o mais impactante. Há um grande ciclo de histórias se interligando e muitas famílias envolvidas. Novamente o vilão Mortmain fará de tudo para colocar suas mãos em Tessa, porém sua ação afetará diretamente Jem Carstairs, deixando a vida do rapaz por um fio. Todos precisam se unir contra o inimigo chamado tempo, e tudo fica muito angustiante para o leitor. 

Nos outros dois livros, os caçadores de sombras fazerem de tudo para proteger Tessa, porém agora todos estão preocupados com o estado de saúde Jem Carstairs, mudando a dinâmica do grupo, fazendo-os ficarem vulneráveis pelo excesso de atenção que estão dedicando aos conturbados fatos que não param de acontecer. Além disso, cada personagem tem "um problema extra" que precisa resolver e a Clave mostra-se indecisa entre confiar ou não em Charlotte Fairchild. Mortmain revela todo seu potencial, semeando a guerra, usando todo mal com suas peças infernais imbatíveis e Tessa transformasse no imaginável para salvar aqueles que ama. 

Tudo é muito intenso. Will lutando para salvar seu parabatai, Tessa lutando para salvar Jem e Jem tentando salvar ambos. E você fica pensando: "Em um triângulo amoroso, um dos lados não pode acabar bem..." e então vem Cassandra Clare e simplesmente destrói seu coração e tudo que você imaginou para o final desses três personagens tão apaixonantes. 

Eu tive uma mega ressaca literária depois desse livro, não conseguia tirar a origem perfeita de Tessa Gray da cabeça, foi maravilhosa a forma que ela foi criada e escrita. E o que acontece com Jem... Como superar isso? Foi como ser Will Herondale e sentir a dor possuir seu corpo em busca de um significado para sobreviver após os fatos. E a criação de Henry Branwell e Magnus Bane? Foi brilhante! Parece que por mais que Magnus tentasse ir, sua história sempre estará ligada aos Shadowhunters. Sem falar das diversas despedidas entre tantos personagens queridos e marcantes dessa trilogia das Peças Infernais. 

Esse livro também possibilita que o leitor entenda melhor as famílias dos Caçadores de Sombras, tendo uma base sólida de quem foram os anteparados dos personagens das séries do tempo atual como "Instrumentos Mortais" e "Artifícios das Trevas". Compreendendo assim a herança genética dos cabelos ruivos dos Fairchild, por exemplo, ou uma arma de família como a espada Cortana de Emma Carstairs. 

Enfim, para você que nunca leu nada de Cassandra Clare, "As Peças Infernais" é um grande começo! Essa trilogia já se tornou uma das minhas favoritas e super recomendo para todos que amam histórias entre anjos e demônios. #Recomendo

Atividades do Blog